LCI e LCA:

para começar a investir

Provavelmente você já ouviu falar em Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio. Livres de imposto de renda, não por acaso, a LCI e LCA representam títulos de renda fixa que estão cada vez mais populares entre aqueles que estão entrando no mundo dos investimentos e conquistando bastante espaço nas carteiras de diversos investidores.

 

Ainda não conhece esses investimentos em detalhes e deseja aprender como investir nesses títulos com rentabilidade e segurança? Quer entender suas características, vantagens e desvantagens? Aqui é o lugar certo! Continue a leitura e fique por dentro.

 

O que você vai aprender nesse texto?

 

– LCI e LCA: o que são?

– Como funcionam LCIs e LCAs?

– Vantagens e desvantagens ao investir.

– Como escolher uma boa LCI ou LCA.

– Como Investir em LCI ou LCA: passo a passo.

 

As Letras de Crédito têm se tornado mais acessíveis nos últimos anos, assim muitas pessoas que desejavam compor a carteira com esses investimentos conseguem realizar com maior facilidade. Um dos motivos para a LCI e LCA ganharem o coração dos investidores é a isenção de imposto de renda. Afinal, investir sem precisar se preocupar com determinadas taxas é bem atrativo.

 

LCI e LCA: o que são?

 

LCI e LCA são, respectivamente, as siglas para Letra de Crédito Imobiliário e Letra de Crédito do Agronegócio, títulos de renda fixa que financiam atividades imobiliárias e de agronegócio. Esses títulos são emitidos por bancos em que os recursos captados são usados para financiar atividades desses ramos.

 

Quando se fala em renda fixa, elas aparecem como algumas das opções mais populares e ainda garantem retornos superiores ao da poupança. Mas será que vale a pena o investimento?

 

Provavelmente você já conhece os CDBs emitidos pelos bancos e a LCI e LCA são bem parecidos. Em troca desse “empréstimo”, o investidor recebe pagamento de juros, que são estabelecidos no momento da compra do título.

 

Você pode estar se perguntando se existe diferença entre investir em LCI ou LCA e a resposta é NÃO. O que muda é apenas o lastro do papel.

 

As Letras de Crédito Imobiliários são lastreadas na carteira de empréstimos relacionados ao setor imobiliário, mantidas pelas instituições emissoras – podendo ser emitidas por bancos, sociedades de crédito imobiliário, associações de poupança e empréstimo e companhias hipotecárias que queiram captar recursos. Já as Letras de Crédito do Agronegócio são utilizadas para captar recursos para os participantes da cadeia do agronegócio.

 

O lastro das LCAs podem ser empréstimos concedidos a produtores rurais ou cooperativas, o que pode incluir alguns financiamentos atrelados à produção, comercialização, beneficiamento ou industrialização de produtos agropecuários, insumos ou máquinas e implementos que costumam ser usados neste setor.

 

Como funcionam LCIs e LCAs?

 

O funcionamento das LCIs e LCAs, de maneira geral, pode se parecer com outros investimentos da renda fixa, no entanto, existem especificidades, como a rentabilidade, a liquidez, o risco e também alguns pontos no que diz respeito à tributação e taxas que são importantes de mencionar. Vamos lá?

 

Rentabilidade

 

Os títulos podem ser:

 

Prefixados –> já se sabe, logo ao investir no título, o quanto receberá de rendimento até o seu vencimento.

 

Pós-fixados –> têm parte de seu rendimento atrelado a um indexador variável, como o IPCA ou até mesmo o CDI (principal referência de rentabilidade da renda fixa). Nesse caso o valor pode variar, já que acompanha a dinâmica das variações do indicador que pode subir ou cair ao longo do tempo. Geralmente, o retorno é apresentado como um percentual do indicador de referência: 90% do CDI ao ano, ou seja, o investidor poderá embolsar 90% do que render o CDI ao longo de um ano. O “CDI mais spread” também é uma forma de remuneração, onde uma LCI pode conseguir remunerar com o CDI mais 1% ou 2% ao ano.

 

Letras atreladas à inflação –> algumas aplicações de LCI e LCA estão entre os investimentos atrelados à inflação porque podem apresentar rentabilidade híbrida, ou seja, a remuneração pode ter uma parcela prefixada e outra pós-fixada. É mais comum observar casos em que o papel assegura uma taxa de juros (como 4% ou 5% ao ano) mais a variação da inflação, medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) ou pelo IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado).

 

Não sabe qual opção escolher? Essa escolha depende de alguns fatores que envolvem suas características e seus objetivos. Você deseja preservar o poder de compra do dinheiro no longo prazo? Se esse for um dos seus objetivos, as letras atreladas à inflação são uma boa indicação. Agora, se você não quer ter nenhuma surpresa com o valor no longo prazo, os papéis pós-fixados, por serem mais estáveis, podem ser melhores.

 

Liquidez

 

Uma característica dos títulos de LCI e LCA é a baixa liquidez – ou seja, depois de investir, pode demorar para conseguir resgatar seu dinheiro. Dessa forma, costumam ser investimentos de liquidez inferior a de outros produtos de renda fixa.

 

Prazo de carência

 

A carência varia conforme o tipo de remuneração oferecida pelos papéis. É preciso ter atenção ao prazo, pois esses títulos obedecem a um período mínimo de investimento, determinado por regulação do Conselho Monetário Nacional (CMN).

 

LCI – prazo mínimo de 90 dias ou maior (se a remuneração estiver atrelada a um índice de preços); 12 meses, se a atualização do título for anual; ou 36 meses, se for mensal.

 

LCA – prazo mínimo de 90 dias ou 12 meses para as letras atualizadas anualmente por um índice de preços.

 

Resgate antes do vencimento

 

Existem LCIs e LCAs que possuem liquidez diária, mas apenas após o cumprimento do período mínimo de aplicação. Algumas letras permitem o resgate na data do vencimento do papel (varia de um a três anos).

 

Negociação dos papéis no mercado secundário – venda de LCIs ou LCAs: essa também é uma opção para quem precisa dos recursos antes do fim da aplicação. Mas, tenha atenção, pois o valor das letras pode tanto estar mais alto quanto mais baixo do que foi pago, ou seja, pode haver ganho, mas também pode ocorrer uma perda.

 

Riscos de investir em LCI e LCA

 

Assim como outros investimentos em renda fixa, a LCI e LCA têm cobertura do FGC (Fundo Garantidor de Créditos), o que significa que, se a instituição financeira quebrar, o investidor recebe de volta até R$ 250 mil do valor aplicado. Atenção: essa garantia é contabilizada por CPF e por instituição.

 

Custos e Tributação

 

Como já foi mencionado anteriormente, tanto as LCIs quanto as LCAs são isentas de imposto de renda. Além disso, não há cobrança de taxa de administração. O que pode ocorrer são taxas de custódia e corretagem em algumas corretoras.

 

Vantagens ao investir

 

Rentabilidade: LCI e LCA costumam ter taxas de rentabilidade ligeiramente superiores ao CDI. Ótima alternativa para quem deseja investir com rendimentos alinhados ao mercado.

 

Diversificação: ótimos ativos para diversificar a sua carteira.

 

Isenção de IR: esta é uma das melhores vantagens da LCI e da LCA.

 

Segurança: contam com a cobertura do Fundo Garantidor de Créditos (FGC) até o limite de R$ 250 mil por CPF ou CNPJ, por conjunto de depósitos e investimentos em cada instituição ou conglomerado financeiro, limitado ao teto de R$ 1 milhão, a cada período de 4 anos, para garantias pagas para cada CPF ou CNPJ.

 

Desvantagens ao investir

 

Prazo mínimo para resgate: carências e vencimentos não costumam ser muito curtos. Na maioria das vezes, você não consegue resgatar seu dinheiro antes do prazo.

 

Como escolher uma boa LCI ou LCA

 

Em primeiro lugar, é preciso conhecer bem o seu perfil de investidor e ter seus objetivos bem definidos. Não esqueça de avaliar bem os prazos e a possibilidade de precisar dos recursos antes do vencimento, assim como sua tolerância aos riscos. Compreender o funcionamento do FGC também é fundamental.

 

Como Investir em LCI ou LCA: passo a passo

 

1) Faça a escolha de uma boa corretora.

2) Escolha um título que seja mais adequado às suas necessidades e objetivos.

3) Avalie o valor mínimo de aplicação.

4) Respeite o limite de R$ 250 mil do FGC.

5) Atenção com os prazos de vencimento.

 

Agora que você já sabe como funcionam as LCIs e LCAs, diversificar sua carteira ficou muito mais fácil, não é mesmo? Afinal, as Letras podem ser muito vantajosas não apenas pela facilidade em investir, mas também pela grande variedade de taxas oferecidas e a isenção do imposto de renda. Avalie bem seu perfil e objetivos e comece já a investir.

9 Comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *